O direito de ir e vir

0
60

Nada me impressionou mais na Suíça do que os seus meios de transportes. A bicicleta é a opção de muitos, com ciclovias que acompanham a maior parte das ruas principais. Os patinetes são mania entre as crianças pequenas. No aspecto coletivo, a perfeição do sistema integrado de trens, bondes e ônibus me emocionou. Que paulistano não se emocionaria?

A rede de trens da Suíça está entre as mais densas do mundo e é quase toda operada pelo governo. Os trens são efetivamente usados por todos, mesmo por quem tem carro, numa média de 40 viagens por ano por pessoa. Levando-se em conta que a população suíça total é inferior a 8 milhões de habitantes distribuídos em 41.300 km2, fica um pouco mais fácil entender tamanha organização.

Como Richard Hollis menciona em seu livro “Swiss Graphic Design – The origins and growth of an Internation Style 1920-1965″, o relógio das estações de trem na suíça foi desenhado em 1955, por Hans Hilfiker. A forma do ponteiro dos segundos é inspirada no disco vermelho utilizado antigamente para sinalizar a saída do trem.
O sistema de sinalização projetado por Josef Müller-Brockmann.

O sistema de transportes é unificado em todo o país. E como o país é pequeno, as viagens de uma cidade a outra são geralmente curtas. Os trens de última geração são pontualíssimos, silenciosos, limpos e com janelas enormes. Já fui de trem a Zurique, Berna, Lucerna e Basileia. Em todas essas cidades, suas respectivas estações centrais possuem um sistema de sinalização idêntico, o que torna tudo ainda mais agradável: quando você consegue se orientar em uma estação, já entendeu como funcionarão as outras.

A sinalização para os transportes públicos de Zurique foi projetada por Ernst Hiestand, nos anos 1980.

O trajeto mais emocionante de todos é a ida ao aeroporto de Zurique. Suponha que da porta da sua casa saia um bonde pontualíssimo, silencioso, limpo e com janelas enormes, que te leve até a estação central de trens em oito minutos, como aconteceu no meu caso. Da estação central saem trens para o aeroporto de cinco em cinco minutos. Você espera cinco minutos e entra no próximo trem. O trajeto até o aeroporto leva dez minutos. Ao desembarcar do trem, há somente um lance de escadas rolantes para o andar de cima. Passaram-se apenas vinte e três minutos desde que você deixou a sua casa. Você acorda do seu sonho e se vê na frente de balcões de check-in, sem filas naquele dia.

O direito de ir e vir
5 (100%) 2 votos